ADPEP comemorou seus 30 anos de fundação

428

São 30 anos dedicando-se à promoção e defesa das prerrogativas, direitos e interesses de seus associados. Três décadas pugnando pela valorização permanente da carreira do Defensor Público do Pará, pela autonomia e fortalecimento institucional. A Associação dos Defensores Públicos do Estado do Pará realizou no último sábado, 16, sua tradicional festa de fim de ano e, juntamente com seus associados, comemorou o aniversário de 30 anos de fundação.

Fundada em 17 de dezembro de 1987, a história da entidade foi construída paralelamente a da Defensoria Pública no Pará. Essa última, por sua vez, nasceu com a Constituição Federal de 1988, mas bem antes disso, em 1983, o estado do Pará tornara-se um dos primeiros entes da Federação a instituir o acesso à Justiça, através de assistências judiciárias integrais e gratuitas.

Clique aqui e confira um pouco do processo de fundação da entidade, através dos relatos do primeiro presidente, o Defensor Público Carlos Sousa.

Ao fazer uso da palavra, Fábio Namekata lembrou a data e destacou a importância da luta pelo fortalecimento da instituição. “Nossa entidade foi criada para a defesa não só dos interesses da classe, mas para da instituição da Defensoria Pública, que tem como finalidade a proteção daquelas pessoas que mais necessitam que são os vulneráveis do estado do Pará, e é com essa satisfação que a gente comemora neste fim de ano todo o trabalho em prol dessa população mais carente, e é essa a nossa razão de existir, a Defensoria Pública, de sermos instrumentos de transformação social”.

A programação contou com a entrega do Colar do Mérito a algumas personalidades que ajudaram na busca por melhorias institucionais, além de divulgar a importância do papel do Defensor Público para a população mais carente e vulnerável do Pará. São eles:

Defensora Pública Andreia Macedo Barreto – Recebeu a homenagem pelo serviço prestados à frente da Defensoria Pública Agrária de Altamira, em especial pelo trabalho em favor da população vulnerável, vítimas das obras da hidrelétricas de Belo Monte.
Defensora Pública. Eliana Socorro Vasconcelos, por sua atuação em favor dos custodiados, com medida de segurança junto ao Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico do Estado. “Eu queria agradecer a diretoria da nossa honrosa associação pela outorga dessa homenagem, principalmente porque essa homenagem eu dedico aos custodiados do hospital de custodia e tratamento psiquiátrico, que são pessoas que perderam não só a liberdade, perderam o direito de serem tratados como doentes mentais que são. E o pouco que eu procuro levar a eles nada mais é do  que, não somente a liberdade, mas a cidadania”.

 

Defensora Pública Juliana Andrea Oliveira, por sua atuação a frente do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Pará, em especial pelo trabalho às vitimas da chacina de Pau D’arco.
Deputado Estadual Carlos Bordalo, por suas diversas atuações em favor do fortalecimento da Defensoria Pública do Pará.  “Eu entendo que o nosso papel  no parlamento é ser a voz do povo, porque o povo do Pará precisa de ter uma Defensoria Pública forte, porque o povo do Pará é muito pobre. Quase 50% da população do Pará vive na pobreza, e o pobre não pode pagar advogado. O Defensor Público é o advogado do povo. Contem conosco na Assembleia Legislativa. Todos os anos nós vamos lembrar que o sistema de justiça do nosso estado é muito desequilibrado e nós precisamos equilibrar o sistema de justiça para que a justiça seja efetivamente uma porta para todos que precisam dela”.
Deputado Estadual Junior Haje, por suas diversas atuações em favor do fortalecimento da Defensoria Pública do Pará, em especial por todo o esforço feito neste ano para a correção da divisão orçamentária dos órgãos autônomos do estado. “Gostaria de agradecer esta honraria que pra mim é enorme, porque eu defendo a Defensoria Pública pelo simples fato de que sou Deputado Estadual de três mandatos, o oitavo mais votado desse estado, e quem me elege, quem me coloca como seu representante na Assembleia Legislativa, é justamente o povo que vocês Defensores Públicos defendem. O  povo vulnerável do nosso estado. Eu lamento profundamente que o Judiciário e o Ministério Público, que têm sobra de recursos, não entendam que a divisão mais equânime desse recurso fará o bem para a toda a sociedade paraense”.
Defensores Públicos do Pará, Johny Giffoni e Juliana Oliveira, vencedores Prêmio Innovare 2017. “Só pra dizer que é muita gratidão a todos que colaboraram com esse prêmio, pois contamos com a força e o apoio de muitos para que conseguíssemos ganhar esse prêmio. A mensagem que fica para os outros órgãos de Justiça é: respeitem a Defensoria” – Juliana Oliveira.

Após as homenagens, foi passado um vídeo com mensagens de alguns dos ex-presidentes da ADPEP, parabenizando a entidade pelos 30 anos de existência. Logo em seguida, foi cantado o tradicional “Parabéns pra você”. A programação ainda contou com o sorteio de brindes e os shows das bandas Balada.Com e Virtudão, além de um Buffet especial para os presentes.

Clique aqui e confira as fotos do evento.