ANADEP recebe diretoria do Colégio de Ouvidores

145

24.06O presidente da Anadep, Joaquim Neto, recebeu ontem, 23, representantes do Colégio de Ouvidores das Defensorias Públicas do Brasil para tratar do fortalecimento das ouvidorias nas defensorias públicas nos Estados. O novo modelo adotado pelo Colégio impõe que o ouvidor não faça parte do quadro de defensores, mas que seja um representante da sociedade civil. Atualmente somente 11 estados contam com essa nova alternativa.

O presidente do Colégio de Ouvidores, Alderon Costa, lembrou que as ouvidorias brasileiras, por muito tempo, foram ineficientes e corporativistas. “Essa ideia de controle externo dará mais credibilidade e eficiência a instituição – destacou Costa”.O conceito de ouvidoria externa começou dentro da polícia de São Paulo. Em 2009 esse modelo passou a ser implantado dentro das defensorias públicas brasileira – o objetivo é trabalhar a sociedade civil para que ela se sinta presente dentro dos órgãos. O defensor geral do Mato Grosso, Lucio Andrade, convidou Joaquim Neto para participar da próxima reunião de ouvidores que irá acontecer no mês que vem em Cuiabá.

O presidente da Anadep colocou a Diretoria de Articulação Social à disposição do colegiado para construir uma parceria nas ações e apoiar as iniciativas dos ouvidores. A Anadep entende a relevância que a Ouvidoria tem como canal entre as Defensorias Públicas e a sociedade. Joaquim Neto ressaltou que, caso esse modelo de interlocução não seja abraçado, as Defensorias Públicas correm o risco de ser perder como ocorreu em outras instituições: “Para se ter uma Defensoria forte, temos que ter um Ouvidoria forte” – disse.

Fonte: ANADEP